31/05/2012

correria

onde você vai
com essa agonia, rapaz?
chutando pedra na rua
suando além da conta -
tira a mão do bolso e
sorria, rapaz.
mesmo forçadamente
mesmo descontente
devolve essa pedra na história
que você não é obrigado
a carregar 500 anos nas costas -
acorda, rapaz, olha em volta.
toda essa gente correndo,
trotando, buzinando, movendo,
eles vão chegar também, rapaz,
no mesmo lugar que você
lá, onde tudo vai ficar calmo
dentro de outras
pequenas repetições
convenientes

29/05/2012

perdoe-os

quão entristecida
fica a velha costureira
ao vê-los passar enfileirados
cada qual com seus tecidos
das mais variadas cores -
e brigam, berram asneiras,
homens diocesanos,
não sabem que suas bandeiras
são feitas dos mesmos panos;
enquanto um grita: - salve o prefeito!
outro clama por sua morte;
um terceiro afirma ser deus
sem qualquer tipo de sorte.
ninguém escuta ninguém
é o que aflige a costureira
pois gritam de uma maneira
que não se entende um vintém
do que querem dizer ou falar.

talvez, minha senhora,
eles não queiram dizer nada
só gritar um pouco
um mais alto
que o outro