09/12/2015

que título ridículo


que formato defasado,
burro e anti-audiovisual
onde está o movimento?
cadê o tridimensional?

nem um traço abstrato
sem um fundo musical
falta interatividade
com a mídia social.

...cansamos.
foram oito linhas,
onze, agora.

06/02/2015

a ship

when we started to build a ship
I always thought about the sea
never about the ship
the whole ocean open wide
for you and me - the sky

when we started to build a ship

I painted it red and white and blue
maybe yellow too -
and I thought about us
holdin’ each other
over waves and sea storms

when our ship was almost done
I felt as happy as I could be
- now we could face the sea - said I
but there were waves and storms
scary as shit, we agreed, we hit

then we got into the sea
wondering we were finally free
no roads, no maps
no fences nor signs -
but
someway 
I felt weird -
from somewhere in my head
ca to me this little notion
that we're still chained
but by the ocean
can't you see?

20/01/2015

O cheiro

Já fazia uns trinta minutos que eu andava atrás daquele caminhão de galinhas. Nenhum ponto de ultrapassagem, um porre de um engarrafamento intenso e uma estrada nada amigável no interior da província de São Pedro. O cheiro de merda era terrível. Esse cheiro é facilmente identificável pra quem nasceu no interior, a gente aprende desde cedo distinguir a espécie do bicho pelo cheiro da merda. Talvez, n'um movimento natural, eu estivesse habituado, não sei. De qualquer maneira, minha prioridade era o tempo, a urgência dos segundos em cada quilômetro rodado. Aonde quer que eu vá, eu quero chegar logo. E tão logo o cheiro tinha sumido, decidi assumir alguns riscos e forçar a ultrapassagem. Eu não queria me habituar àquilo e sabia que o risco era a única solução possível. Há os que nunca ultrapassam.

Ultrapassei em faixa dupla, perto de uma ponte, um por um dos habituados - até o derradeiro caminhão ter virado imagem no retrovisor do meu carro popular. Já livre do cheiro insuportável, pensei na rotina do motorista do caminhão, no seu cotidiano e sua relação com aquele cheiro todo. Se ele realmente sentia aquilo o dia inteiro, se de alguma forma isso ainda o incomodava ou qual teria sido o processo físico de adaptação pelo qual ele supostamente teria passado. Quando o passei, sorrindo como se me cumprimentasse, buzinou duas vezes. 

De boné azul, parecia um poeta.

13/01/2015

solidarité

a Nigéria chora e
presumo que também o Haiti 
ao menos é o que diz 
- de quando em quando -
a televisão daqui.

A bomba e o horror
o afã dos jornalistas 
das redes sociais
no México e no Brasil
- touchant

já sobre a Namíbia,
eu nada sei, mas
deve haver comoção por lá
porque todo mundo se mobiliza rápido
quando o atentado é europeu:

o atrasado
sou eu.